Tutorial: Como Baixar Filmes na Internet

No começo eu tinha muita dificuldade em baixar filme na internet, porque sempre que eu clicava no link do baixador, ele redirecionava para uma página que sempre me obrigava a baixar alguma coisa. Quando eu já havia desistido, um amigo me ensinou como burlar isso.
Aqui vai o passo-a-passo. Quem tiver dúvidas deixe nos comentários!

Entre no seu navegador



Acesse amofilmes.net (eu dou preferencia a este site porque está sempre atualizado e a imagem e o som dos filmes são de ótima qualidade, mas o site fica a seu critério).



Esta página irá se abrir.


Digite no espaço de busca o nome do filme



O site (a maioria das vezes) te dá duas opções, dublado ou legendado.
Lembrando que mesmo o legendado vem com a opção de áudio em português.



Clique com o botão direito do mouse em qualquer lugar e escolha a opção exibir código fonte da página



Esta página será aberta. Aperte "Ctrl" + "F" e a janela de busca se abrirá. Ela destcará todas as vezes que o nome buscado for citado.
Eu tenho preferência pelo baixador ADrive (mas se quiser utilizar outro disponível, fique a vontade), digite o nome do baixador na janela de busca e use as setas para
 encontrar o link. 
Obs: Se você prestar atenção, nem sempre o destaque vai direto para o link, neste caso use as setas da janela de busca para direcionar ao próximo destaque.



Depois de clicar no link, esta página se abrirá e o download começará automaticamente (apenas se você estiver baixando com o ADrive, com outros baixadores você ainda tem que esperar um tempo para começar). 


Assim fácil e prático! E você faz tudo isso sem ter que baixar programa nenhum, e ainda é grátis.

Espero ter ajudado! Bjs...


Filme "Percy Jackson e o Mar de Monstros"

Gênero: AventuraAção
Duração: 106 min.
Estreia: 16/08/2013
Direção: Thor Freudenthal
Distribuidora: 20th Century Fox
Nota:


Depois de um hiato de mais de 3 anos, Percy Jackson volta com tudo no novo filme: O Mar de Monstros. Nesta aventura Percy, Annabeth e Grover tem que ajudar em uma missão para salvar a Árvore de Thália, protetora do acampamento meio sangue.

Gostei muito do filme, apesar do roteiro ter se distanciado muito do livro. Muitas partes foram omitidas, mas eles souberam contornar bem e conseguiram manter a essência da história.

Curti a escolha da Leven Rambin como Clarisse, se encaixou bem no papel, e acho que o espírito caçador da Glimmer (personagem da mesma atriz em Jogos Vorazes) ajudou a criar a aura da personagem.

A grande queixa da galera desta vez foi a mudança na cor dos cabelos da Annabeth (que no primeiro filme eram pretos e neste são loiros como nos livros). Na real, os produtores só quiseram tentar consertar a cagada que eles fizeram, mas só fez com que os fãs reclamassem ainda mais! Para mim a mudança não fedeu nem cheirou.

Aliás o que não fedeu nem cheirou neste o filme inteiro foi a própria Annabeth. Ela ficou muito em segundo plano... E a quedinha dela pelo Percy tava muito na cara... Fora que todas as vezes que tinha uma cena de luta e ela encontrava ele, ela o abraçava, e dava graças aos Deuses por ele estar vivo. Ficou pedante, e não combinou nada com a personalidade da Anna.

Um filme cheio de ação, aventura e muitos KABUNS!!!!
Uma adaptação literária horrível, mas um filme FANTÁTICO!





Resenha: "A Lista Negra"


Autora: Jennifer Brown
Editora: Gutenberg
N° de páginas: 272
Avaliação: 

 O livro escrito por Jennifer Brown e queridinho da galera, não me surpreendeu.

 Valerie, a narradora-protagonista do livro, acaba de passar por uma tragédia. Seu namorado Nick, entrou no colégio armado e atirou nos alunos que os atormentavam. E o pior: os nomes dos alvos de sua chacina, vieram de uma lista que ela mesma havia ajudado a elaborar.

 O livro narra as consequências do acontecimento, tanto para ela quanto para o resto da cidade. E o que mais a apavora é a duvida quanto à ser ou não culpada.

 A história vai e volta no tempo. Os flashbacks servem para entender melhor a relação de Valerie com a família, amigos e com o próprio Nick. O enredo é bem desenvolvido, e o leitor, mesmo sem perceber, acaba entrando na pela dela.

 Para mim o único defeito foi o final. É um livro incrível e com certeza aborda um tema não muito comum, mas o final não tem surpresa alguma. Não é digno de um livro com uma história tão boa e tão bem estruturada. Tanta expectativa para nada.

 Talvez seja esse o problema, a expectativa criada pelo próprio livro.


A Verdade Sobre os Poemas

Quantas borrachas gastei
Quantas noites virei
Quantas folhas rasguei
Para escrever pra você

Sobre algo que não sei
Sobre vidas que não vivi
Sobre sonhos que não sonhei

Esó agora descobri
Que o que me faltou
Foi humildade
De perceber que um poema meu
Jamais será um Drummond de Andrade

Fuja do País das Maravilhas

Querida Alice,

Cansei-me dos teus sorrisos falsos
Cansei-me das tuas joias
Cansei-me das tuas roupas
Cansei-me das tuas bebidas e das tuas festas
Cansei-me desse teu aplique e dessas tuas lentes de contato
Cansei-me dessa tua gargalhada estridente que não combina com você
Cansei-me dessa tua família que posa pra foto, mas não se suporta
Cansei-me dessa tua cabeça colada nos rostos de quem você fala mal no domingo
Cansei-me dessa tua falsa postura de dama
Cansei-me desse teu falso moralismo e tua falsa modéstia
Cansei-me de você se vender como pedigree, sendo vira-lata
Cansei-me desse tua falta de realismo na vida


Pra você, minha querida Alice, só digo uma coisa:
Corre atrás do coelho, pois o relógio não para.

Filme: "Instrumentos Mortais: Cidade dos Ossos"

Gênero: AventuraAçãoDrama
Duração: 130 min.
Estreia: 23/08/2013
Direção: Harald Zwart
Roteiro: Cassandra ClareI. Marlene KingJessica Postigo
Distribuidora: Paris Filmes
Nota:


O filme baseado na obra de Cassandra Clare, Cidade dos Ossos, contou com nomes como Lily Collins, Jamie Campbell e Jonathan Rhys Meyers em seu elenco. A escolha de Lily como Clary, não poderia ter sido melhor. Ela soube como ninguém por nas telas, a Clary que os leitores imaginavam ao ler os livros. O único defeito foi a cor dos cabelos, que para mim, se fossem mais alaranjados seriam mais próximos dos da personagem.

A principio a escolha de Jamie Campbell como Jace não me agradou em nada. Eu achava que ele não tinha perfil para fazer o personagem e preferia mil vezes o Alex Pettyfer (que foi escalado, porém não aceitou o papel). Mas tudo mudou depois que eu assisti ao  filme. Você não só se acostuma com ele como passa também a gostar, afinal, fosse quem quer que fosse, não há como não amar o Jace.

Amei os efeitos especiais, os demônios ficaram muito bem feitos.
Mas para mim o roteiro acabou com o filme. Sim! Todo o bom trabalho do elenco e dos diretores foi - com o perdão da expressão - CAGADO por um roteiro muitíssimo mal feito. Para quem leu os livros, até que não fez muita diferença, afinal nós sabemos em que contexto as situações estavam ocorrendo. Mas para quem nunca leu os livros, ficou confuso, e parecia que estavam com pressa de explicar as coisas. Foram cortadas partes fundamentais para o entendimento, e muitas vezes adicionadas outras partes que levavam a adaptação para longe da essência do livro.


Sem contar aquele SPOILER que eles soltam no final do filme, né? Por favor!


Vou dar um desconto por ser o primeiro filme, mas espero que o próximo seja bem melhor que esse (e tenha outro roteirista, é claro).

Um Dito Circo


Fui numa festa esses dias. Era daquelas chiques, onde só a elite da cidade comparece. Ou quem se diz "elite". E eu fiquei ali no canto de espectador daquela estranha confraternização. Ninguém estava ali para prestigiar o anfitrião. Estavam ali para desfilar seus casacos de pele e maridos ricos. As solteiras puseram na vitrine seus corpos e falsos sorrisos. A VENDA, estava escrito em suas roupas minúsculas e extravagantes.

 Todos se deleitavam na abundância das mais caras bebidas. Não serei hipócrita em omitir que eu mesma exagerei tomando duas ou três doses a mais do que devia. Mas afinal como aturar aquele dito circo?

 Víamos palhaços em todo canto, aglomerando pessoas ao seu redor que riam alto de piadas sem graça e assentiam com a cabeça. Tinham também os malabaristas, aqueles que passavam de roda em roda se contorcendo para agradar a gregos e troianos. Muitas vezes, ou sempre se preferir, se contradizendo a depender de com quem estavam falando. Os melhores eram os macacos, tentando chamar atenção das formas mais ridículas possíveis.


 Como em toda festa houve uma hora em que o show acabou, a pipoca esfriou e a bebida esquentou, e o adorável público abandonou o salão deixando para trás sua própria sujeira para alguém limpar e nenhum aplauso.



Comentários

Resenha: "Instrumentos Mortais: Cidade dos Ossos"



Autora: Cassandra Clare
Editora: Galera
N° de páginas: 462
Volume:1
Avaliação:

 O primeiro volume da série bestseller Instrumentos Mortais, Cidade dos Ossos, apresenta Clary Fray, uma nova-iorquina de 15 anos, filha de uma artista. A história começa quando ela e seu amigo Simon vão a uma boate, e lá ela presencia três jovens, com armas esquisitas, assassinarem um rapaz. E isso não é a parte mais estranha. Com exceção de Clary, nem Simon nem mais ninguém parece conseguir vê-los.

 Ela chega acreditar que estava louca, mas mal sabia Clary que se tratava de Caçadores de Sombras, caçadores de demônios.  Como e porque ela pode vê-los é um mistério tanto para ela quanto para os próprios caçadores, mas é só quando sua mãe é atacada por um demônio em seu apartamento que ela percebe que tem mais em comum com este novo mundo do que pensava.

Eu amei o livro e hoje está entre os meus favoritos. Eu gostei muito do estilo de escrita da Cassandra e a história me envolveu de verdade.

 O livro é dividido em três partes. A primeira parte é como uma introdução ao mundo das sombras. Apesar de ter amado o livro, admito que demorei muito tempo para terminar essa parte. Ela é muito cheia de detalhes, e é muito parado, então não me prendeu. Na época, não entendi o por quê de tantas críticas positivas, e pensei muito em desistir de ler.

 A segunda é quando a ação começa a rolar. Depois de um revelação bombástica no fim da primeira parte, Clary e os Caçadores de Sombras finalmente vão botar a mão na massa. As cenas de ação são muito bem descritas e parece que você está assistindo a um filme. É ai que a história se desenrola e te prende até você conseguir terminar o livro.

 A terceira e última parte é com certeza a parte mais emocionante, e foi determinante quanto a gostar ou não do livro. O final foi o que eu mais gostei (em partes, quem leu sabe do que estou falando) e apesar de já ter lido em outros blogs que dá a impressão de que o livro não tem final, eu não me senti assim.

 Outro ponto decisivo foi o Jace. Lindo, seguro de si mesmo, debochado e irônico, ele faz coração da Clary (e das leitoras) pular. Eu fico impressionada como ele tem sempre uma tirada para cada situação. E a Clary também não fica para trás na ironia... Ela, apesar de insegura as vezes, não é o tipo de garota que leva desaforo pra casa. A personalidade dos dois produz cenas de comédia ao longo do livro. Não tem como não torcer por eles.

 O livro com certeza entrou na minha lista de favoritos e estou louca pelo próximo livro Cidade das Cinzas.

 O filme baseado no livro vai ser lançado este ano. O elenco conta com Lily Collins no papel de Clary, Jamie Campbell como Jace e Robert Sheehan como Simon. Logo, logo vai ter post sobre ele aqui no blog. Fica aqui o trailer:



Resenha: "A Mediadora: Arcano Nove"


Autora: Meg Cabot
Editora: Galera Record
N° de páginas: 269
Volume: #2
Avaliação: 

CUIDADO! ESTE POST PODE CONTER SPOILERS DO PRIMEIRO LIVRO DA SÉRIE!

"Neste segundo volume da série A Mediadora, Suzannah está adorando sua vida na 

ensolarada Califórnia: festas, amigos e até dois potenciais namorados: um jovem fantasma 

o menino mais cobiçado da cidade. Até que o fantasma de uma mulher assassinada 

decide persegui-la."

No Arcanjo Nove Suzannah está finalmente enturmada e parece até que se tornou popular. Tem até um cara afim dela, e não é qualquer cara, é O Tad Beaumont. Mas essa paz não dura muito quando o fantasma de uma mulher assassinada decide perturbar suas noites de sono. E parece que o mistério por trás dela tem a ver com a família riquíssima do seu paquera Tad.

O segundo livro é muito mais repleto de mistério e ação que o primeiro. É tão eletrizante que depois que começa é impossível parar. Tem uma "pegada" diferente do primeiro, muito mais detetive, o que combinou bastante com a personalidade da Suze. A relação de Suze e Jesse é meio estagnada nesse livro... Não avança quase nada. Mas isso não significa que não tenha romance. 

Não curti muito que os livros estão criando um padrão e deixa a ideia de repetitivo. Já dá pra perceber isso neste livro, mas a história é tão mais emocionante que o primeiro que eu nem me importei muito. Se já tinha amado o primeiro, esse eu não tenho palavras.

Para comprar este livro clique aqui: A Mediadora: Arcano Nove












Resenha: "A Breve Segunda Vida de Bree Tanner"


Autora: Stephenie Meyer
Editora: Intrínseca
N° de páginas: 192
Avaliação: 

"Pela primeira vez Stephenie Meyer oferece aos fãs uma nova perspectiva do universo de "Crepúsculo". Na voz de Bree Tanner, uma jovem vampira integrante do violento exército de recém-criados que assola a cidade de Seattle no terceiro volume da série, "Eclipse", somos apresentados ao lado sombrio da saga. Bree vive nas trevas, sedenta por sangue. Não conhece sua verdadeira natureza e não pode confiar nos de sua espécie. Sua breve história acompanha a semana que antecede o confronto definitivo entre os recém-criados e os Cullen - a última semana de sua existência."

O livro adicional da saga Crepúsculo conta a história de Bree, uma vampira recém-criada por Victoria e Riley, inimigos dos Cullen. Ela aparece brevemente no terceiro livro da série e sua aparição trás curiosidade ao leitor para conhecer o outro lado de ser um vampiro, um vampiro "carnívoro".

Eu gostei do livro. Tem uma história legal, tem até um romancinho no meio - típico da tia Steph, claro - mas é muito frustrante ler o livro sabendo o final. Principalmente por que a Bree te cativa (ela é muito diferente da Bella, em vários aspectos) e te faz querer que a história tome outro rumo.

Um enorme ponto negativo é que o livro por ser muito curtinho, nao ser dividido em capítulos, o que me atrapalhou um pouco (apesar de tê-lo lido em um dia). E apesar de eu tê-lo amado, não sei se acrescentou muito a história.

Para comprar o livro clique aqui: A Breve Segunda Vida de Bree Tanner

"Desventuras em Série: Mau Começo" de Lemony Snicket


Autor: Lemony Snicket
Editora: Cia. Das Letras
N° de páginas: 152
Volume: 1
Avaliação: 

"Mau Começo é o primeiro volume de uma série em que Lemony Snicket conta as desventuras dos irmãos Baudelaire. Violet, Klaus e Sunny são encantadores e inteligentes, mas ocupam o primeiro lugar na classificação das pessoas mais infelizes do mundo. De fato, a infelicidade segue os seus passos desde a primeira página, quando eles estão na praia e recebem uma trágica notícia. Esses ímãs que atraem desgraças terão de enfrentar, por exemplo, roupas que pinicam o corpo, um gosmento vilão dominado pela cobiça, um incêndio calamitoso e mingau frio no café da manhã. É por isso que, logo na quarta capa, Snicket avisa ao leitor: "Não há nada que o impeça de fechar o livro imediatamente e sair para uma outra leitura sobre coisas felizes, se é isso que você prefere"."

Quem nunca assistiu ao filme Deventuras em Série? Desde a primeira vez que assisti, me encantei, e só descobri que era baseado numa série (de mesmo nome) a cerca de 1 ano. É uma série composta por 13 livros, tendo sido publicados desde 1999.

O autor, Lemony Snicket é, na verdade, um personagem criado pelo brilhante Daniel Handler (o verdadeiro autor dos livros). Snicket é um homem solitário que perdeu sua amada Beatrice, e que viaja atrás dos Baudelaire afim de contar sua história de desgraça para o mundo. 
A história do primeiro livro é extremamente semelhante a primeira parte do filme, contando a morte dos pais Baudelaire e o envio dos irmãos para casa de seu novo tutor, o temível Conde Olaf. Este faz de tudo para tornar sua vida um inferno, obrigando-os a fazer tarefas pesadas - e inuteis - e não permitindo que tivessem nenhum lazer.

O livro é cheio de sutilezas, ironias e piadas críticas a sociedade da época, caracterizadas pelo humor cáustico do narrador. Lemony usa da narração onisciente e demonstra seus sentimentos, angústias e frustrações durante a narração dos fatos.

Outra curiosidade é que ele avisa durante diversos pontos do livro, que se você espera um final feliz, que deve devolvê-lo a estante e procurar por outro.

Três irmãos, um vilão, um escritor deprimido, um mistério e uma pitada de de sarcasmo são os ingredientes da primeira obra de Desventuras em Série.

Para comprar o livro clique aqui: Desventuras em Série: Mau Começo

Dica: The Book Dopository


(Não é costume do blog fazer propaganda de site, não estamos recebendo nada pela publicação)

O post de hoje não vai ser sobre um livro ou um filme em questão e sim sobre um site de venda de livros que eu conheci esta semana. Chama-se Book Depository. Muitos de vocês já devem ter acesso a ele ou já devem ter ouvido falar por outros blogs.
Recentemente eu adquiri um interesse por livros em inglês uma vez que eu quero começar o hábito de ler em inglês. Mas tinha um grande problema... Comprar livros aqui no Brasil já é muito caro, em inglês então, já presumi que seria um absurdo. E além de serem caros e não ter um leque de escolha muito grande, demoram cerca de 2 semanas a mais pra chegarem. No caso da minha cidade (que é no interior da Bahia, e os correios não funcionam de jeito nenhum) significa mais de um mês, se a gente for considerar os dias úteis.
O site é ótimo, e quase sempre tem livros em promoção. E mesmo aqueles que não estão em promoção são baratos. Você também tem uma variedade muito grande de livros em ambos os formatos: paperback (que é o de capa de papel, que é comum aqui no Brasil) e o hardcover (que é o famoso capa dura). Se você for converter o preço do hardcover é o preço do livro no Brasil, mas se você quiser economizar para comprar mais (kkk, é o meu caso), o paperback vale super a pena, sendo metade do preço.
Como se a nossa sorte já não fosse demais, o frete dos livros é inteiramente grátis!
Comprei dois livros essa semana (12/02) e quando eles chegarem eu atualizarei o post com a minha avaliação sobre o site e o tempo de entrega.

Para acessar o site clique aqui: The Book Depository


"A Mediadora: Terra das Sombras" de Meg Cabot



Autora: Meg Cabot
Editora: Galera Record
N° de páginas: 284
Volume: #1
Avaliação: 


“A jovem Suzannah poderia ser uma adolescente nova-iorquina típica, com seu casaco de couro, calças jeans esfarrapadas e humor cáustico, se não fosse por um pequeno detalhe: ela se comunica com os mortos. Como mediadora, sua missão é ajudar almas penadas a descansarem em paz, por bem ou por mal. Esse dom nada bem-vindo a deixa em apuros com mãe e professores. Afinal, é difícil explicar sem parecer completamente maluca que suas excursões noturnas a lugares proibidos são bem intencionadas.

A Mediadora é a primeira série da Meg Cabot que eu leio, e sinceramente estava com receio da expectativa, que qualquer livro da Meg traz, estragar um pouco. Também admito que já cheguei a pensar que seus livros só faziam sucesso por serem da mesma autora de diários da princesa (o queridinho da galera entre os livros e filmes).

Terra das Sombras o primeiro livro da série, foi sem dúvida, uma quebra de expectativa e derrubou todos os meus preconceitos contra os livros da Meg. É muito bem escrito e redigido, e ela soube inovar com os personagens, substituindo a menininha desprotegida e insegura que precisa de um rapaz para salvá-la, por uma garota forte, inteligente, que dá de 10 a 0 em um homem em tudo que faz, e ainda trabalha para salvar o rapaz em perigo.

Ela soube dar o tom certo de humor e suspense capturando os leitores de forma que nem sintam que estão lendo.

Com certeza um dos melhores livros com tema sobrenatural que já li. Amei, e estou grata de ter comprado (na verdade eu ganhei da minha mãe, a minha maior patrocinadora, BEIJO MÃE!) o Box completo, pois quando vi, já estava nas últimas dez páginas e não suportaria ficar sem saber o que vai acontecer na sequência. 

Para comprar o livro clique aqui:A Mediadora: Terra das Sombras

"Valentina - a Herdeira da Magia" de Jaqueline Vargas


Autora: Jaqueline Vargas
Editora: Landscape
N° de páginas: 232

“É a história de uma menina que vive no orfanato Santa Brígida, na solitária ilha das Maçãs. Criada sob a batuta da rigorosa madre Superiora, a irmã Misericórdia, Valentina faz tudo para não ser adotada, pois acredita que um dia voltará para a sua verdadeira família. Às vésperas de completar doze anos, Valentina descobre, acidentalmente, uma caixa com um livro e um medalhão deixados para ela, por sua mãe. Esses objetos foram mantidos em segredo por todos esses anos pela madre que temia o que poderia acontecer, uma vez que Valentina desconfiasse de sua origem. A partir dessa descoberta, bizarros acontecimentos tomam conta da ilha, culminando com a chegada dos cavaleiros das Sombras e da maligna fada Fumuaque... Ela tem uma herança que é cobiçada por todo o mundo mágico.


Primeiramente eu me interessei no livro pelo nome (pra quem não sabe o meu nome é Valentina, e não é lá um nome que você encontra em todo lugar) e quando eu li a primeira vez eu devia ter uns 9 anos... Eu reli ele recentemente esperando ler um livro infantil, e até mesmo bobinho. Mas não, o livro me encantou mostrando ser mais do que imaginava, com uma temática legal e um enredo fantástico.
É, eu sei, parece que é mais uma daquelas histórias da órfã que descobre que tem poderes e blá, blá, blá... Mas a Jaqueline soube como por isso no papel, perdendo o clichê e redigindo uma história digna de virar filme.

É um gênero que não se vê muito na literatura brasileira, que eu sempre sonhei em ver. O que mais me impressiona é que a autora conseguiu inovar criando uma mitologia para o livro, mas ainda assim deixando ele leve e descompromissado... 
Agora pra ele ser ainda mais perfeito, só falta lançarem a continuação...

Para comprar o livro clique aqui: Valentina - a Herdeira da Magia